Sobre a MIBASA

A primeira empresa foi fundada pelo Sr. Solon Guedes Barreto com a denominação de S. Barreto & Filhos tendo como atividades iniciais a compra e venda de cereais na cidade de Neópolis no estado de Sergipe. Era uma sociedade limitada ao pai e seus filhos, que escolheu como lema: “HONESTIDADE E TRABALHO”.

A vontade, a dedicação, a persistência e a união entre os sócios, sempre orientada pelo fundador que dizia: “Meus filhos, sejam unidos como a carne à unha”.

O comércio foi se desenvolvendo e aos poucos foi alcançando outros estados e novos negócios foram surgindo e experienciados como transportes através de navios, adquiridos com essa finalidade. Outras tentativas foram feitas no comércio e foi tentado a indústria de arroz, sabão, papelão. Com a descoberta de amianto no estado de Alagoas no município de Traipu, surgiu a idéia de fabricar o papelão de asbesto.

A atividade de extração mineral foi se desenvolvendo e em 05/09/1948 passou a ser empresa de mineração; pesquisas foram sendo feitas e outras reservas minerais foram encontradas no estado de Alagoas, tornando-se necessário e conveniente, a montagem de usina de beneficiamento de minério na jazida de amianto de maior reserva mineral encontrada: CAMPESTRE.

O nome Campestre vem de uma antiga lagoa chamada de Lagoa do Campestre e como ficava próxima, aproveitou-se o nome. Pertence ao município de Jaramataia no estado de Alagoas – Brasil.

A descoberta foi feita por Antônio Alves Reis, conhecido por Antônio Nezinho. Era carreiro, de carro de bois e carreava pela região, carregando mantimentos para as pessoas. Sempre passava pela mesma trilha que lhe servia de estrada para seu carro e tinha num local umas pedras que soltava lã. Antônio Nezinho observou, guardou umas pedrinhas e levou para casa.

Um dia um amigo veio lhe fazer uma visita e Antônio Nezinho lhe mostrou as pedras que davam lã. O amigo observou e disse que existia uma firma no município de Traipu – AL que trabalhava com aquelas pedras, pediu para levar umas amostras ate lá e ver se tinham interesse pelas pedras.

As pedras foram levadas, mostradas ao pessoal da firma que ficou interessado em vir até o local.

O Sr. Luiz Gonzaga Machado Barreto foi o sócio da firma que veio conhecer o local da pedra. Veio até Batalha-AL e de lá, foi ao povoado Pau Ferro a cavalo onde morava o Sr. Antônio Nezinho. Ficou hospedado na casa de Antônio Nezinho e no dia seguinte foi ao local das pedras.

Enquanto o Sr. Antonio Nezinho procurava o local o Sr. Luiz ficou só, quando apareceu um homem com a roupa toda rasgada dentro da caatinga. Sr. Luiz deu um grito forte de medo, chamando Antônio Nezinho, pois pensava que aquele senhor fosse índio. Isto acontecia por volta de 1954 a 1955.

Outros sócios da firma vieram conhecer o local. Antônio Nezinho passou a trabalhar na firma, onde ficou até se aposentar e só saiu por livre e espontânea vontade, pois o interesse dos proprietários era, que permanecesse por toda vida.

A firma se estabeleceu e denominou o lugar de Campestre. A vila operária foi construída e ficou conhecida por Vila Campestre, onde foram construídas uma escola para os filhos dos operários, e como o fundador da firma era muito religioso e afilhado de Nossa Sra. do Rosário, uma capela que recebeu o nome da Santa, que é a padroeira do local.

O sino da igreja, cujo projeto foi inspirado na igreja do Poxim, povoado do município de Japoatã – SE, o Sr. Solon Guedes Barreto, fundador da firma, foi especialmente à fabrica de sinos no Rio de Janeiro, para escolher o som.

Até 1967 a empresa continuava com a mesma denominação e dirigida pelo fundador e seus filhos. Depois para atender às necessidades e devido ao crescimento dos negócios, foi alterado o nome da empresa para Mineração Barreto S.A. – MIBASA em 05/07/1968.

As pesquisas e tentativas com intenção de encontrar novos minerais eram frequentes e descobriu-se em 1966 calcário em Campestre, a reserva era pequena, mas em 1972 a firma passou a extrair também calcário para a agricultura. Depois descobriu-se a jazida de calcário de Belo Monte e passou para lá em 1982 toda exploração de calcário.

Em 1987 foi construído o escritório de Arapiraca–AL, que logo depois tornou-se a matriz da empresa.

Seguindo e dando continuidade ao lema do fundador: “Honestidade e Trabalho”, agora já dirigida pelos netos, surgiu a oportunidade de se estender para outros ramos de atividade fundando a MIRCOL – MIBASA Revendedora de Combustíveis e Lubrificantes Ltda em 17/07/1992, atuando no comércio de combustíveis e lubrificantes.

Posteriormente fundou-se a MICMAC – MIBASA Industria e Comércio de Materiais de Construção Ltda. em 19/05/1993, fabricando produtos para a construção civil.

Cada empresa tem vida própria e atua em sua atividade procurando crescer e se desenvolver dentro do lema do seu fundador:

HONESTIDADE E TRABALHO!